Preso por estupro, jogador Jobson é transferido de presídio


O atacante Jobson, ex-Atlético-MG e Botafogo, foi transferido para a cadeia pública de Paranã, a 350 km de Palmas, na última terça-feira (27). O jogador estava preso desde setembro de 2017 em Colméia, a 206 da capital. Na última semana o jogador disse que estava sofrendo ameaças de presos e pediu para ser transferido do local. A informação da transferência é da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju). O jogador está preso por suspeita de estupro.
O advogado do jogador, Josenildo Ferreira, disse que os presos na cadeia pública de Colméia estavam tentando extorquir o atleta, ao pedir R$ 300 por semana.
Jobson foi preso em setembro de 2017 por descumprir o limite da tornozeleira eletrônica. O jogador já havia sido preso outras duas vezes entre 2016 e no meio do ano de 2017.

Sobre o crime
O jogador foi preso pela primeira vez em junho de 2016 por cumprimento de mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça de Conceição do Araguaia. O caso começou a ser investigado quando uma das adolescentes, que diz ter sido abusada pelo jogador, procurou a polícia depois que uma foto dela foi parar em um grupo de troca de mensagens na internet. Jobson nega todas as acusações.

Fora dos gramados
Jobson está suspenso pela Fifa de realizar qualquer atividade relacionada ao futebol até 31 de março de 2018. Ele foi acusado pelo clube Al Ittihad, da Arábia Saudita, de se recusar a fazer exame antidoping. Posteriormente, a Fifa deu validade mundial à pena que, de início, foi imposta pela Federação Saudita de Futebol.
A suspensão aconteceu em abril de 2015. Em março, o atleta teve o seu recurso rejeitado pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês). Também em março, o atacante foi proibido de atuar em competições amadoras da sua cidade natal.

do: globo.com

Comentários